É altamente louvável a disposição do Senador Roberto Requião de empunhar uma bandeira para mobilização de pessoas e entidades que já não suportam mais o escandaloso comércio religioso na televisão. Não obstante, assim me parece, seja o insígne senador averso a uma lei coercitiva neste sentido, mister se faz que haja de fato uma lei proibindo o pedido de dízimos, ofertas, ou o apelo em programas radiofônicos, televisos, ou em espaços públicos convocando a participação do público em correntes e/ou campanhas religiosas mediante pagamento em espécie. Que tal prática se restrinja somente no interior de templos religiosos ou em espaços fechados utilizados para reuniões de membros, afiliados ou simpatizantes desta ou daquela entidade religiosa.

Não há como prescindir de uma lei neste sentido. Pois há lei que restringe propaganda de cigarros e bebidas nos meios de comunicação, há lei que restringe o uso de tabaco em locais públicos, há lei que restringe o uso de bebidas alcoólicas e a direção de veículos automotores, há lei contra a propaganda enganosa, há lei que proibe o uso de aparelhos sonoros em coletivos…

Apelo para uma campanha por uma lei contra o comércio religioso na televisão, nos meios de radiodifusão e em espaços públicos.

Todos que assim o desejarem que enviem um e-mail para Senador Roberto Requião assim dizendo:

“Eu apoio uma lei contra o comércio religioso em rádios e televisão”

e-mail do senador: roberto.requiao@senador.gov.br

VIGILANTE DA FÉ
Anúncios