Saiu na Revista Forbes.

A revista norte-americana Forbes, elenca os cinco líderes evangélicos mais ricos do Brasil; Edir Macedo, Valdemiro Santiago e Silas Malafaia no topo da lista.

Revista Forbes elenca os cinco líderes evangélicos mais ricos do Brasil; Edir Macedo, Valdemiro Santiago e Silas Malafaia no topo da lista

Os líderes evangélicos com as maiores fortunas no segmento foram tema de uma matéria e listados a partir de dados coletados pela Polícia Federal e Ministério Público.

A sucursal brasileira da revista norte-americana Forbes, especializada no tema, listou os cinco líderes evangélicos com os maiores patrimônios.

Em comum entre eles, o fato que todos tem presença na televisão, seja em horários alugados ou por possuírem canais de TV.

A revista destaca que, mesmo o Brasil sendo um país majoritariamente católico, o crescimento dos evangélicos faz parte do cenário que possibilita o acúmulo de fortunas por parte desses líderes.

Confira abaixo, a lista com os cinco líderes evangélicos mais ricos do Brasil:

Bispo Edir Macedo

Imagem inline 1

Líder e fundador da Igreja Universal do Reino de Deus
Proprietário da TV Record

Fortuna estimada US$ 950 milhões

Apóstolo Valdemiro Santiago

Imagem inline 2

Líder e fundador da Igreja Mundial do Poder de Deus
Empresário

Fortuna estimada em US$ 220 milhões

Pastor Silas Malafaia

Imagem inline 3

Pastor presidente da Assembleia de Deus Vitória em Cristo e fundador da Associação Vitória em Cristo

Proprietário da editora Central Gospel e da gravadora Central Gospel Music

Fortuna estimada em US$ 150 milhões

Missionário R. R. Soares

Imagem inline 4

Líder e fundador da Igreja Internacional da Graça de Deus

Empresário

Fortuna estimada em US$ 125 milhões

Apóstolo Estevam Hernandes Filho e bispa Sonia Hernandes

Imagem inline 5

Líderes e fundadores da Igreja Renascer em Cristo

Empresários

Fortuna estimada em US$ 65 milhões

As informações divulgadas pela revista Forbes não detalham a origem do patrimônio acumulado pelos líderes citados acima. Adendo nosso: nem seria preciso. E notem: os valores expressos são em “dólares”  e não em reais.

Anúncios