MARCHA PARA JESUS 2010 sexta-feira, jun 4 2010 

Andei lendo um pouco aqui, um pouco acolá, notícias, opiniões, comentários, sobre a marcha para Jesus realizada neste feriado passado em 03 de junho. Achei digno de nota e exposição neste blog o arrazoado que abaixo segue; pela pertinência, coerência, propriedade, e em consonância com as Escrituras.

Leia-se:

  • Carlos Roberto disse:
  • O CRISTIANISMO BOMBRIL DAS MIL E UMA FUTILIDADES
  • “Aquele que tem os meus mandamentos e os guarda esse é o que me amam, e aquele que me ama será amado de meu Pai, e eu o amarei e me manifestarei a ele” – João 14:21

    O cristianismo “BOMBRIL” – e ninguém está me pagando para fazer propagando do produto – é assim, vive das “MIL E UMA FUTILIDADES”, isto mesmo, futilidades.

  • A “MARCHA PARA JESUS”, nada mais é do que uma das “MIL E UMA FUTILIDADES” da religião moderna para permitir que o povão possa ter um divertimento a mais, que também possa extravasar as suas frustrações e compensar as deficiências espirituais que dominam as igrejas neste século. O pior de tudo, é que tanto crentes – não cristãos que é outra coisa – como Pastores, Bispos, Apóstolos e Missionários, andam todos com a vida espiritual capenga, corroída pelo modelo ANTI-BÌBLICO de brincar de igreja, que precisam inventar novidades para tentar convencer o povo de suas ideologias religiosas vazias e inócuas. Além de perturbarem a ordem publica e de causarem incomodo a milhares de pessoas, esta bagunça religiosa promovida por militantes da libertinagem religiosa não trás qualquer acréscimo na estrutura espiritual de ninguém. É preciso lembra que a Bíblia não recomenda e não nos ensina “protestar”, mas “testemunhar”, sem que precisemos levar para avenidas, os agitadores evangélicos e as suas parafernálias pensando que as doenças da alma vão ser curadas com “Marchas Para Jesus”. Isto é uma vergonha! É a liquidação da fé nos palcos da vida, que de forma sutil e extravagante vai causando os seus estragos na história do cristianismo.

    Infelizmente a igreja foi invadida por pessoas que vieram do mundo, mas que não abandonaram as suas prática e os seus costumes, são pessoas que defendem um cristianismo barato, sem se lembrarem que “GRAÇA BARATA, NÃO É GRAÇA”. Ninguém aceita discutir estas distorções, não querem fazer um paralelo entre as VANTAGENS e os PERIGOS desta obsessão doentia dos cristãos por movimentos ativistas, que não são respaldados pelas Escrituras. Digo isto, porque só eu sei o que estou enfrentando por combater esta religiosidade de FORMAS, mas que não possui qualquer CONTEÚDO que possa atender aos desejos e anseios da alma e do coração. Chamam-me de quadrado, de ultrapassado e até de ridículo, mas…

    O Salmista, num momento de angustia e de profunda tristeza afirmou: “Espera somente em DEUS, pois ainda o louvarei, Ele que é o meu socorro, e o meu Deus” – Salmos 43:5. Ele estava vivendo os piores momentos de sua vida, e nem por isto recorreu a métodos “extra BÍBLIA” para mostrar a sua revolta e a sua preocupação com aquele momento de sua vida. A resposta dele e para ele foi, “espera em Deus”, um exercício de paciência que não faz parte da vida cristã de ninguém hoje, assim, é mais fácil agitar o povão numa marcha sem pé, nem cabeça, a ter que esperar pela ação de Deus no seu tempo. Desta forma, no campo do jogo espiritual, o inimigo tem batido todos os recordes. De algum modo, as nossas igrejas estão num vale de lágrimas, caminhando sobre um deserto espiritual perigoso, muitas são uma servil imitação do mundo, e não passam disto! Esperar em Deus não faz sentido, é preciso ter algo melhor do que exercitar a paciência aguardando a providência divina. Estão agonizando, e aí qualquer medicamento serve para manter a respiração e a agitação da turma.

    Em nossa vida agitada, podemos prantear e lamentar, ser impulsionados para trás e para frente, sob os assaltos do opressor, até estarmos quase derrotados, podemos nos queixar de que Deus nos esqueceu, mas nem por isto devemos recorrer a ações que contrariem o que estabelece a BÍBLIA como regra para o exercício da fé cristã. Tem muita gente “MARCHANDO PARA JESUS”, no entanto estão muito distante dele, marcham com o cordão umbilical ainda agarrado ao mundo. Estão a anos luz daquilo que representa uma vida sob a tutela do Senhor Jesus. E ai, quando alguém faz um alerta, ele é metralhado sem nenhum sentimento cristão. Mas, qual é o resultado prático de tudo isto? Qual é a aplicação na vida espiritual do povo? Que contribuição efetiva este movimento traz para a história da igreja? Jesus participaria de um evento desta natureza e com estes propósitos? Ou será que os fins justificam os meios? Eu fico, sem vacilar, com a última opção!

    Queremos que o cristianismo sobreviva de manobras religiosas, estamos buscando nas generalidades do inferno uma forma de cobrirmos o vazio de uma vida espiritual combalida e próximo do limite de exaustão. Estamos atraindo o povo para a religião através de uma “MARCHA PARA JESUS”, mas não estamos conduzindo este mesmo povo a Deus por meio de nosso TESTEMUNHO. Causamos incomodo por perturbar e não por TESTEMUNHAR, e este é o ponto principal de tudo. Testemunhar dá trabalho, exige abstenção de muitas práticas e requer submissão a Deus, já na MARCHA, pelo contrário, as pessoas são submissas a LÍDERES que tem as suas intenções e as suas ideologias, que é notório, são distorcidas para satisfazer aos desejos das massas e de seus impérios religiosos. A “MARCHA PARA O CÉU” não depende de manifestações ideológicas, depende sim, de sermos FIÉIS aos ensinos de nosso Senhor e Salvador JESUS CRISTO.

    “Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas me convém. Todas as coisas me são lícitas, mas nem todas edificam” – I Coríntios10:23

    “Não existe maneira certa de fazer uma coisa errada”

    – 4 junho 2010 às 9:04 –

POR CIMA DA (s) LEI (s) sábado, maio 29 2010 

É de se lamentar, porém nem tanto, porque estamos vivendo uma época de deterioração, que Reverendos do Evangelho que deveriam zelar pelo respeito que deve ser observado com o recinto de culto ao Senhor, e ainda mais subordinados a um político, * Deputado Federal, estejam flagrantemente desrespeitando as leis; tanto a Lei de Deus como a Lei Eleitoral.

* Refiro-me ao Reverendo Mário de Oliveira que detém dois mandatos, o de Presidente da Igreja do Evangelho Quadrangular e de Deputado Federal por Minas Gerais.

Verifique:

Na época da missão do Senhor por este mundo a Sua ‘casa’ havia se tornado um antro de salteadores, conforme pode-se constar em Mateus 21:13

Disse Jesus: “A minha casa será chamada casa de oração – mas vós a tendes convertido em covil de ladrões”.

Hoje, não é novidade que além do comércio que se faz dentro de templos, também os tornaram em palanque eleitoral.

Constate:

A Procuradoria Regional Eleitoral em Minas Gerais abriu uma investigação para apurar uma denúncia de ilegalidade eleitoral praticada no interior de igrejas.
Representação feita por um fiel da Igreja do Evangelho Quadrangular denunciou que pastores dessa denominação vêm convertendo cultos em palanques.

No texto, o fiel menciona um episódio que testemunhou. Deu-se no dia 2 de maio, na Igreja do Evangelho Quadrangular do Bairro Floresta, em Belo Horizonte.

Segundo o texto entregue à Procuradoria, o pastor que ministrava o culto noturno disse a certa altura:

“Eu, Jesus e meu projeto: eu, Jesus, Mario de Oliveira para deputado federal e Antonio Genaro para deputado estadual”.

De acordo com a denúncia do fiel, a prática de pedir votos estaria sendo replicada em outros templos da igreja.

Os políticos mencionados são filiados ao PSC (Partido Social Cristão). Mario de Oliveira cumpre mandato na Câmara. Genaro, na Assembléia Legislativa de Minas.

Além de abrir investigação, o Ministério Público Eleitoral enviou uma recomendação ao conselho estadual de diretores da igreja Quadrangular.

Pede a interrupção da prática. Recorda que a lei eleitoral proíbe a realização de propaganda política no interior dos templos.

Mesmo do lado de fora das igrejas, informa a recomendação, a propaganda eleitoral está proibida antes do dia 5 de julho, data oficial do início da campanha.

A Procuradoria deu prazo de dez dias para que a Quadrangular expeça um aviso aos seus pastores e envie uma resposta ao Ministério Público.

Pedidos de votos feitos no interior de igrejas sujeitam seus autores a multas que vão de R$ 2 mil a R$ 8 mil.

Campanha antecipada feita fora da igreja pode render multa que varia de R$ 5 mil a R$ 25 mil.

Parabéns ao zeloso fiel da igreja que apresentou a denúncia.


Votos de Amor e Paz,

Vigilante da Fé

O PRINCÍPIO DO FIM quarta-feira, maio 19 2010 

Em muitas passagens bíblicas pode-se constatar que aqueles que não aceitaram exortações e admoestações, que não se humilharam, e por último que não mudaram de rumo, deram um princípio ao seu próprio fim.

Não seria este mesmo o caso que se dá com o pastor Silas Malafaia?

Depois de receber uma severa admoestação do Pr. Carlos Roberto Silva, vice-presidente executivo da Convenção dos Ministros da Assembléia de Deus do Estado de São Paulo e membro do Conselho de Doutrina da CGADB – Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil, que condenou a ‘Campanha da Semente de R$ 1.000,00’ do Pr. Silas Malafaia e do Pr. norte- americano Mike Murdock lançada em seu programa de TV, Silas Malafaia contra-atacou: mudou o nome da sua igreja que era Assembléia de Deus para Igreja Vitória em Cristo, declarou que os que o criticam são os que nada fazem, dando a entender que são invejosos, e foi mais fundo: lançou uma campanha em que pede uma parte do aluguel e 30% da renda daqueles que queiram receber a “benção da casa própria”.
Por fim, como quem diz: “sou mais eu”, anunciou no seu programa na Band, que foi ao ar neste último final de semana,15/05/2010, a sua renúncia ao cargo de primeiro vice-presidente e o seu desligamento da Convenção Geral das Assembléias de Deus no Brasil (CGADB).


Votos de Amor e Paz,

Vigilante da Fé

O AMOR É O CAMINHO domingo, abr 11 2010 

Muitas religiões há no mundo, quando uma só seria ideal: A do Amor, porque Deus é Amor
 
Começo a refletir no que está acontecendo no Brasil em razão das convicções religiosas. Não é possível que o Brasil esteja se transformando numa pátria dividida em segmentos religiosos. Esse comportamento é a antítese de tudo que se fala do brasileiro.
Aconteceu um incidente grave em São Paulo, que contraria tudo aquilo que se fala sobre o lado bom e generoso do nosso povo. Aconteceu na Semana Santa.
O Lar Mensageiros da Luz, um abrigo de crianças, adolescentes e adultos de ambos os sexos, com deficiência, especificamente portadores de paralisia cerebral, atualmente atende 38 pessoas da Baixada Santista, SP.
Na Semana Santa foi programada uma visita de jogadores do Santos Futebol Clube aos pacientes do Lar Mensageiros da Luz, quando seriam entregues ovos de Páscoa.
Quando o ônibus parou á porta da instituição, alguns jogadores como Neymar, Robinho, Fábio Costa, Durval, Léo, Marquinhos e Brum se recusaram a descer.
Ganso chegou com seu próprio carro e, antes de entrar no local, foi chamado pelos colegas que estavam no ônibus (eles gritaram e bateram nas janelas). Ganso entrou no ônibus e não saiu mais.
A razão? Souberam que a instituição tinha sido fundada por espíritas.
O presidente Luis Alvaro de Oliveira Ribeiro foi até o ônibus e conversou com os atletas. “Falei para os jogadores que o Santos tem que provar que não é apenas um time de futebol.”
 O técnico Dorival Júnior, visivelmente constrangido, disse que deixara claro que era uma atividade paralela às atividades do clube e que não era obrigatória a presença de todos. “Era pra ser algo fraterno, buscando uma troca com aquelas crianças que têm muito mais para nos ensinar do que temos para lhes oferecer” – disse o técnico santista.
Foi dito aos jogadores que o Lar Mensageiros da Luz não era um centro espírita, tinha sido apenas fundado por espíritas há cerca de 47 anos. Mas, não adiantou. Não desceram do ônibus e as crianças ficaram esperando.
Em entrevista à TV Bandeirantes, Robinho e Neymar disseram que não desceram do ônibus para visitar os deficientes que os esperavam porque “ficaram sabendo que se tratava de um lar espírita” – disse Robinho.
 
Fui criado num lar onde meus pais, antes que se tornassem evangélicos ou “crentes”, jamais permitiram que por questões de fé religiosa se passasse por cima dos princípios básicos da fraternidade. Estou desapontado com a deformação que muitas igrejas estão dando aos nossos jovens, tornando-os “fanáticos religiosos.” 
 
A maioria esmagadora do povo brasileiro, espiritualistas ou não espiritualistas como muitos, tem respeito por todas as religiões. Tem respeito pelo trabalho que todas as crenças realizam no campo da caridade. Porém, o Evangelho não admite somente respeito, é preciso muito mais… é preciso ter “AMOR”.
 
Não há como não nutrir um profundo respeito por tantos que se doaram à humanidade, como Irmã Dulce, Mahtama Gandi, Madre Tereza de Calcutá, Chico Xavier. Sem falar que praticam a caridade no mais absoluto anonimato.
 
Não importa a religião dos que fundaram a AACD e a APAE. A gente aprende que na caridade não há excessos, que a caridade deve ser a felicidade dos que dão e dos que recebem.
 
O preconceito no caso de alguns jogadores do Santos superou o sentimento da caridade. É uma pena. Eles teriam invadido de alegria os corações daquelas crianças com paralisia cerebral. Mas, o preconceito é uma opinião não submetida à razão; e as vezes, surge de quem pensa com os pés.
 
Infelizmente, assim (quase) sempre acontece com jogadores de futebol, crescem em fama e acumulam muito dinheiro, porém nada crescem espiritualmente. Estes não são os pobres de espírito como disse Jesus que seriam bemaventurados, são os “miseráveis de espírito“.
 
Porventura eles questionam de onde provem o dinheiro que lhes cai em suas mãos? Não seria também de muitos “espíritas”, católicos, umbandistas, islâmicos, hinduístas… torcedores sinceros?
São eles – esses jogadores preconceituosos – muito mais dignos de pena do que qualquer deficente, em qualquer deficiência que haja na face da terra.
A pior deficiência é a “deficiencia espiritual”.
 
Eles tiveram uma bela oportunidade de mostrarem a Luz da Fraternidade que o Evangelho de Jesus Cristo e o próprio Jesus dispensa à todos indistintamente; mostraram, sim, as “trevas” que ainda ocupam grande espaço em seus corações.
Deram, antes de tudo, um péssimo testemunho de si mesmos e das igrejas que os orientam. 
 —
Saudações em Cristo,
Vida e Paz.
Vigilante da Fé

RELIGIÃO X DROGAS terça-feira, mar 30 2010 

 RELIGIÃO X DROGAS.
                                                     
   Olá, o assunto que abordarei é sem dúvida nenhuma um tanto polêmico, falarei da semelhança que existe entre a religião e as drogas, dos danos que ambas podem causar ao indivíduo, seus efeitos e consequências.
   Sei que o que eu disser pode mexer e até ferir dogmas, costumes e tradições, mas é a realidade, e que cada um examine-se e tire suas próprias conclusões.
   Como  cristão evangélico afirmo que o termo “Cristão Evangélico” se aplica ao evangelho genuíno de Cristo e não a religião.
   Da mesma forma que “igreja” é a união de todos que creem no evangelho e na redenção de Cristo, significa assembléia, chamados para fora, separados.
   Igreja física é o local onde essa reunião acontece, onde o foco principal seria ensinar os valores (palavra) do reino de Deus, as Boas Novas, a Salvação do homem através de Jesus Cristo, é o culto racional e é óbvio, com raciocínio, onde nos dias de hoje esse padrão é completamente adverso, o que domina é o excesso de emocionalismo, a busca incessante pelo êxtase e o sobrenatural num caldeirão religioso cheio de doutrinas e sacrifícios anti bíblicos.
  Religião significa prestar culto de adoração, mesmo A.C. a religião já existia, o homem sempre cultuou imagens e deuses de todas as formas, negando completamente a existência do Deus único e verdadeiro.
  No passado os homens mudaram a glória de Deus, transformaram a verdade de Deus em mentira (Rom 2-16,32), e hoje não é diferente, transformaram toda a Glória de Deus em “religião”, em fanatismo, fazendo do homem um ser alienado e sem respostas.
  Existem milhares de religiões e seitas espalhadas pelo mundo cada uma com suas doutrinas e sincretismos, tentando serem úteis ao homem a ajudar a enfrentar problemas, mas negam a Deus com suas obras mortas, muitas até tem seus valores, méritos, cuidados e bondade para com o próximo, menos a verdade, são “cegos guiando cegos”.
   Por isso é que falarei sobre Religião x Drogas num breve comentário, qual a relação entre as duas?
   Isso realmente não é nenhuma descoberta nova, no século XlX o Filósofo Alemão Karl Marx, um dos pais do socialismo/comunismo disse numa de suas obras em 1844 “A RELIGIÃO É O ÓPIO DO POVO”.
   O ópio é uma substância que tem efeito narcótico, entorpecente e é utilizada na medicina por conter morfina, analgésico e sonífero, substâncias usadas para inibir a dor e como droga causa dependência química (vício).
   Na Europa, o povo era espezinhado pela Burguesia e ao chamar a religião de ópio do povo Marx queria dizer que a religião aliviava a dor do povo, mas ao mesmo tempo roubava a percepção da realidade tirando-lhes a vontade de mudar, pois o capitalismo burguês cada vez mais extraía lucros com o trabalho árduo do povo. (mais informações no google)
   Sabemos que no passado desde os primeiros séculos na história das igrejas houve transformações, a própria Bíblia relata isso em Apoc 2 e 3 onde a Religião e paganismo invadiu o Cristianismo e isso perpetua até os dias de hoje, houve a reforma religiosa, a contra reforma, surgiu o espiritismo etc…e a crise religiosa sempre vai existir.
   Hoje, nós sentimos uma pressão da sociedade onde o maior objetivo é a felicidade.
   As aflições naturais que Jesus disse que teríamos (João 16,33) passam a serem vistas como situações a serem eliminadas a qualquer custo onde na verdade fazem parte da vida do homem natural.
   Houve uma união entre a Religião e o Mundo (capitalismo) onde as pessas enxergam um modelo de felicidade ligada ao sentimentalismo, ao sobrenatural e ao consumismo, e as religiões em grande parte oferecem isto.
   Da mesma forma que as drogas modificam o que sentimos, a Religião também.
   As Drogas oferecem um poder de transformação, que torna-se um grande atrativo, a Religião também.
   As mesmas relações que os dependentes químicos estabelecem com as drogas, os religiosos estabelecem com suas religiões.
   Os dependentes químicos vivem a margem da sociedade onde muitas pessoas boas tornam-se drogados e destroem famílias inteiras por causa das drogas.
  Já os religiosos tem aparência de piedade para a sociedade, mas na verdade as piores pessoas do mundo são ou já foram religiosas e também destroem lares inteiros  fazendo loucuras em nome da religião.
  Até um ateu é um religioso fanático ao contrário, nega a Deus mas também busca soluções que nunca encontrará.
  O ópio comparado a religião foi citada como uma droga específica, com uma finalidade e um efeito específico, era a droga da época para a situação da época.
  Então, cada droga tem o seu efeito, da mesma forma que cada Religião também.
  Existem drogas com efeitos quase que imperceptíveis, mas viciam, e aquelas que causam destruição total.
  Na religião existem aquelas que quase não se ouvem falar, vivem secretamente com seus usuários sustentando seus vícios que parecem até benéficos, conduz a dependência parcial, mas leva a morte (morte espiritual).
  Existem as drogas mais pesadas como por exemplo: a cocaína, o crack que eliminam completamente o uso da razão causando danos irreversíveis ao indivíduo físico, psicológico e moral, faz a pessoa perder tudo que tem pessol e materialmente falando exemplo: dinheiro, bens, dignidade, respeito e família, conduz a dependência total até a morte.
  A religião também, ainda que a religião pode ser mais perniciosa para o homem do que todas as drogas juntas, pois leva a morte ETERNA.
  
  DEPENDENCIA- é o impulso que leva a pessoa a usar uma droga de forma contínua (sempre) ou periódica (frequentemente) para obter prazer, na religião também existe esse impulso.
  As pessoas usam as drogas como fuga da realidade, para aliviar as tensões, ansiedades, medos, sensações desagradáveis etc…
  Na religião também, já viram aqueles folhetinhos dizendo: se vc tem depressão, insônia, dores de cabeça, problemas com isto, aquilo etc…etc…etc…
  O dependemte químico vive preso num mundo sem perspectiva de mudanças.
  O dependente religioso vive preso num mundo onde existe uma promessa de mudanças que nunca acontece de uma forma permanente.
  Existe a dependência física e a psicológica em ambos os casos, na dependência psicológica há um estado de desconforto quando uma pessoa necessita de uma droga, os sintomas mais comus são ansiedade sensação de vazio, dificuldade de concentração que varia de pessoa para pessoa onde há oscilação de emoções, o seu uso é que determina o seu estado emocional.
  Na religião também é assim, as pessoas sentindo-se vazias, procuram se encher de emoções, que normalmente acaba ao sair de determinada reunião, e as vezes só dura até o dia seguinte, pois vão cantar, dançar, aplaudir , entram alegres e saem exaustas, também oscilam, pois a dose de promessas que recebem é que vai determinar o estado espiritual.
 A dependência física caracteriza-se pela presença de sintomas e sinais físicos que aparecem quando o indivíduo para de tomar a droga ou diminui bruscamente o seu uso: é a síndrome de abstinência. A abstinência pode ocasionar desde um simples tremor nas mãos a náuseas, vômitos e até um quadro de abstinência mais grave  com risco de morte, em alguns casos.
  Na religião também, costumam associar qualquer tipo de problema físico com o fato da pessoa deixar de frequentar reuniões ou afastar-se totalmente, com ameaças do tipo se não voltar, como castigo divino ficará doente ou poderá morrer (persuasão e coação moral).
   As DROGAS, RELIGIÃO e seus efeitos:
   Diminuem a atividade mental, tira o raciocínio, produzem distorção, percepção deformada de sons e imagens (visões e vozes).
  Inibe a fome, o sono, traz problemas com tempo e espaço.
  Outras aumentam a atividade mental, causam euforia, alegria, risos incessantes, faz a pessoa falar em demasia e dá uma grande sensação de poder.
  Perceberam a semelhança?
  E tem mais, existe a droga que leva ao prazer total ex: ecstasy dando sensação de bem estar, leveza e plenitude.
  Já viram isso em alguma religião? Aquelas onde tudo é paz e amor, tudo é lindo, o mundo é sempre brilhante, intenso (é maldição falar o contrário).
  Outras em busca do prazer total ensinam que para ter o espírito divino é nescessário chegar ao clímax, ao apogeu, a pessoa tem que sentir..me perdoe o termo que usarei, um orgasmo santo, pois é, eu disse no início que mexeria com costumes e tradições.
  Mas o Apóstolo Paulo já alertava que essas coisas aconteceriam I Tim 4:1,5 – II Tim 3:1,9 e II Tim 4: 1,5.
  Tudo isto como ondas do mar sacode a Igreja de Cristo, temos que separar religião de Igreja e Cristianismo, foi pra isto que Cristo veio.
 Por falta de ensino existe uma recusa em aceitar as promessas de uma vida extraterrena onde todos seremos iguais (pois isso é loucura ainda mais no século XXI).
  Mas há cura para tudo isso, e isso é a única diferença entre as duas coisas, Religião e Drogas.
  No tratamento das drogas o dependente tenta se curar de várias formas, hoje existe até medicamentos para inibir a ação das drogas, e também é preciso que o dependente reconheça o vício, e fique em alerta até o fim da vida para não ter recaída pois existe essa hipótese, a não ser que o indivíduo nasça de novo e nunca seja dependente, coisa impossível ao homem.
  Já na religião existe a possibilidade da pessoa ser curada de toda religiosidade e todos os enganos, pois existe o novo nascimento que só é possível para Deus (João 3:1,16) pois somente o novo nascimento é que traz a cura total, pois, passamos a ser uma nova criação. II Cor 5:17.
 Quando alguém lhe oferecer alguma droga dentro da religião, Jesus em sua Palavra mostra o remédio para não errarmos, pois quem nasce de novo já é gerado em Cristo I Pe 1:23 – “sendo de novo gerados, não de semente corruptível, mas da incorruptível, pela palavra de Deus, viva e que permanece para sempre”.
 Não pode haver recaída.
 Jesus disse que teriamos aflições, mas que jamais seriamos “malditos” ALELUIA.

CRISTO É O CAMINHO, CRISTIANISMO É O DESVIO terça-feira, mar 30 2010 

Cristo é o Caminho, o Cristianismo é o desvio

A passagem do Novo Testamento que me levou a pensar no que escrevi nesta reflexão foi aquela em que o Mestre curou o criado de um centurião romano.

O texto é fantástico como tantos outros apresentados nos evangelhos!

Mas dois versículos que sempre passam despercebidos são centrais em todo o contexto daquele momento vivido pelo Senhor Jesus.

Refiro-me aos versículos 11 e 12, nos quais Ele diz: “… muitos virão do Oriente e do Ocidente e tomarão lugares à mesa com Abraão, Isaque e Jacó no reino dos céus. Ao passo que os filhos do reino serão lançados para fora, nas trevas; ali haverá choro e ranger de dentes”.

Um fundamentalista imediatamente diria: claro, muitos virão e se assentarão à mesa com os patriarcas se se converterem a Jesus Cristo. Contudo há uma observação simples para ser feita. O Mestre não diz que muitos virão e se converterão; Ele apenas diz que muitos virão e tomarão lugares.

Mais simples ainda fica essa leitura, quando se observa com cuidado a importância do centurião nessa história. Ele é a chave de tudo e a sua fé é o ponto de partida.

É importante lembrar que o centurião não era nem judeu nem discípulo de Jesus, logo não era membro do Judaísmo, muito menos do Cristianismo que ainda nem existia. Possivelmente, aquele centurião, como todo bom e autêntico soldado romano, era adorador de vários deuses e provavelmente do imperador romano. Numa linguagem cristã, ele era pagão, numa linguagem mais coerente, ele era um religioso politeísta.

Há ainda a hipótese de que nem religioso politeísta ele era, mas apenas um homem que de judeu e de seguidor de Jesus não tinha nada.

Uma segunda observação: ele não se torna cristão após a cura de seu criado. O texto nem relata isso, pois se ele tivesse se convertido, certamente estaria relatado. Mas não, ele permanece na condição (a) religiosa em que se encontrava quando foi procurar ao Mestre.

Portanto, o que um texto deste, se lido a olho nu, sem as lentes da religião cristã, sem os óculos da teologia sistemática ortodoxa e sem os pré-conceitos do fundamentalismo, poderá significar a não ser que Jesus Cristo é o Caminho, a religião – e aqui entra o Cristianismo também – o desvio, e a Graça o meio através do qual Deus salva o ser humano, seja ele alguém que se converterá em algum momento ao Evangelho ou não?

Neste sentido, não dá mais para afirmar que um ser humano que passa a sua vida inteira sem freqüentar uma “igreja de crentes”, irá para o inferno só porque não teve tal experiência. Graças a Deus, em muitos casos, pois há pessoas que quando resolvem freqüentar uma denominação evangélica se tornam loucas, manipuladas, bitoladas, cegas espiritualmente, enganadas, alienadas, bestializadas, e tudo o que for possível entrar nesta lista, menos alguém que de fato conheceu e compreendeu o Evangelho da Graça.

Com isso, quando muitos se convertem às “igrejas de crentes”, acreditam que estão no Caminho, quando na verdade estão no desvio. Têm uma facilidade enorme para apontar quem vai e quem não vai para o Céu, contudo, não se percebem como pessoas que carecem da Graça de Deus ainda mais, pelo simples fato de serem pessoas que não sabem fazer outra coisa, a não ser julgar o próximo.

Nisto creio e afirmo com todas as letras: Cristo é o Caminho, pois é capaz de salvar e ver fé genuína em um centurião romano, adorador de deuses estranhos, pagão e adorador do imperador, mas o Cristianismo é o desvio, pois consegue maquiar-se com as belezas sublimes do Evangelho, mas vive uma religião semelhante à dos fariseus dos tempos de Jesus, que eram zelosos e ortodoxos no que se refere à obediência ao texto, mas cegos na prática, sobretudo, por julgarem com facilidade, seres humanos que eram tão imperfeitos quanto eles.

Cristo é o Caminho, o Cristianismo é o desvio, pois este pratica as maiores e mais terríveis atrocidades em nome de Deus; Cristo é o Caminho, o Cristianismo é o desvio, pois este ensina as pessoas, a ingênua e inocentemente negociarem com Deus a fim de conseguirem prosperidade financeira, como se Ele tivesse interesse em enriquecer materialmente os seus filhos; Cristo é o Caminho, o Cristianismo é o desvio, pois burra e admiravelmente se tornou a religião que menos entendeu os ensinamentos de seu próprio fundador – se é que Jesus foi o fundador desse negócio – ; Cristo é o Caminho, o Cristianismo é o desvio, pois consegue levar as pessoas a acreditarem que os não-cristãos irão para o inferno só porque não se tornaram cristãos, como se Deus só pudesse salvar pessoas por meio de experiências religiosas dentro das “paredes” da religião cristã; Cristo é o Caminho, o Cristianismo é o desvio, pois este em vez de tornar a caminhada cristã uma caminhada de liberdade e descanso, torna-a ainda mais penosa, turbulenta, repleta de regras e cargas a serem carregadas; Cristo é o Caminho, o Cristianismo é o desvio, pois em vez de manter as pessoas que acreditam estarem servindo ao Jesus apresentado nos evangelhos, consegue desviá-las a qualquer outro caminho que não é o Caminho da Graça de Deus em Cristo.

Cristo é o Caminho, o Cristianismo é o desvio, por tantos outros e infindáveis motivos! Cabe agora a criatividade de cada um para continuar nesta reflexão, se é que para enxergar as discrepâncias existentes entre Cristo e o Cristianismo, seja uma tarefa que exija muita criatividade. Penso que não.

Na Graça,

Jefferson Ramalho

MINHA CASA SERÁ CHAMADA CASA DE ORAÇÃO quarta-feira, mar 18 2009 

Mt 21 13 e disse-lhes: Está escrito: A minha casa será chamada casa de oração; vós, porém, a fazeis covil de salteadores.

Causa-nos, à todos aqueles que ainda deteem um mínimo de bom senso, indignação, e porque não dizer também dor, verificarmos que pessoas que um dia foram chamadas para exercerem um ministério em nome de Cristo, estejam a fazer a obra do anti-cristo. Vejam esta notícia que abaixo é reproduzida e depois deduzam porque tantos acontecimentos (prisões de líderes, processos, desabamento do teto do templo sede) envolvem essa pseudo-igreja.

Igreja Renascer monta ringue de vale-tudo em templo para atrair mais jovens a culto em SP

Por Renato Cavallera em quinta-feira, 12 março 2009
Tags: , , , ,
Igreja Renascer monta ringue de vale-tudo em templo para atrair mais jovens a culto em SPDois, três, quatro rounds e, com o perdedor estirado na lona, o pastor Mazola encerra a primeira série de lutas e anuncia o início do culto.

Visite: Gospel, Noticias Gospel, Videos Gospel, Biblia OnlineÉ 1h da madrugada de sábado e o templo da Igreja Renascer em Cristo em Alphaville, na Grande São Paulo, abriga seu primeiro campeonato de vale-tudo, esporte de combate que mescla modalidades como boxe e caratê. “Queremos atrair mais jovens”, conta o bispo Leandro Miglioli, 33, de jeans e camiseta polo.

Sem álcool e cigarro, mas com a pancadaria tradicional do esporte, o festival reuniu frequentadores de academias da região para se enfrentarem no ringue colado ao altar. O público (bermuda, chinelo, tatuagem) vibrava.

Lutadores participam de torneio de vale-tudo na Renascer em Alphaville (Grande SP)

O locutor do embate ficava no palco onde os pastores fazem as pregações. Na pausa para louvor no mesmo local, o pastor Mazola (cabeça raspada e camiseta regata de lutador) contou que já foi usuário de drogas e convocou os presentes a se converterem.

“Cerca de 60 jovens entregaram a vida para Jesus”, diz Miglioli, que cadastrou nomes e telefones dos convertidos.

Culto encerrado, a luta continua -até depois das 3h30, cinco horas após começar. Satisfeita, a igreja fará outro campeonato neste ano.

“Um ringue ao lado do altar é inusitado, mas não extraordinário entre evangélicos”, diz a antropóloga Clara Mafra, pesquisadora da religião. “Nos anos 1940, eles introduziram no Brasil guitarras em cultos. Nos anos 1950, a Assembleia de Deus fez concursos de miss entre as irmãs e não deu certo. A junção de sagrado e mundano causa estranheza, que pode ser ruim ou ter apelo como bom marketing religioso.”

     

E AGORA JOSÉ?! terça-feira, out 7 2008 

MAIS UMA DA COMADUEC: (ANTES DAS ELEIÇÕES)
 
“A Convenção de Ministros das Assembléias de Deus Unidas do Ceará (Comaduec) oficializou em carta apoio à candidata Patrícia Saboya (PDT). A entidade também declarou que está orientando os pastores a convocarem os fiéis para votar na pedetista.
Segundo a carta, a entidade analisou as propostas das candidaturas de Patrícia, Moroni Torgan (DEM) e Luiz Gastão (PPS) – que renunciou no início da semana. E decidiu pelo apoio à pedetista por ela “respeitar a Bíblia Sagrada”. A outra razão seria o fato da candidata ter sido autora do projeto de lei que dá direito a licença maternidade de seis meses.
A Comaduec é a mesma entidade que realizou campanha contra a candidata à reeleição, Luizianne Lins (PT), no início do período eleitoral. Através de cartaze e outdoors, a entidade pregava que “Luizianne é contra a Bíblia e o povo de Deus”. Posteriormente, o nome da petista foi substituído pelo de “Jezabel”, também conhecida por “Jezebel”, tida no antigo testamento como a perseguidora de profetas. Ambas as propaganda foram proibidas pela Justiça Eleitoral.
A campanha seria um manifesto da entidade pelo fato de Luizianne ter vetado um projeto de lei que previa a manutenção de exemplares da Bíblia nas bibliotecas das escolas municipais de Fortaleza.
A assessoria de Patrícia Saboya declarou que ainda não recebeu formalmente a carta de apoio, mas diz que todo apoio à candidatura é bem-vindo. A pedetista também nega qualquer relação com a campanha realizada pela Comaduec contra Luizianne Lins.”
29 de Setembro de 2008 às 16:20:30 |
 
E AGORA JOSÉ?! (CONCLUÍDA AS ELEIÇÕES)
 
Apesar de todo empenho em orações, jejuns (talvez), dispêndios financeiros, proselitismo político e propaganda, a Comaduec –  Convenção de Ministros das Assembléias de Deus Unidas do Estado do Ceará – não logrou êxito em impedir que a atual prefeita de Fortaleza Luizianne Lins (PT) chegasse a obter votos mais que suficientes para reeleger-se à  prefeitura em primeiro turno.
Não obstante alguém possa pensar que tenhamos algum interesse no processo eleitoral do Ceará, específicamente na cidade de Fortaleza, afirmamos que não, pois não somos cidadãos daquele estado, e o nosso objetivo aqui é demonstrar que a política nas igrejas e pelas igrejas, contraria frontalmente os preceitos do Evangelho de Nosso Jesus Cristo que é ‘apolítico’.
Releiam as matérias deste e neste Blog: “Em nome de Jesus… Será Mesmo?” de 22/08/2008, e “O Bom Testemunho dos Ministros da Comaduec” de 06/09/2008, que encontram-se logo abaixo, basta rolar a página.
Com tudo isso reafirmamos e chamamos a atenção para o fato: “Aqueles que mais deveriam demonstrar na prática como se deve respeitar os preceitos bíblicos, são os que mais acintosamente os contrariam.”
Ministros do evangelho políticos praticantes e suas igrejas estão a dar vexame e submetendo seus fiéis a contrangimentos que poderiam e deveriam ser evitados.
Repetindo, o que sempre defendemos: as igrejas aqui estão não para combater o sangue e a carne, conforme Efésios 6:12, antes porém devem dar a César que é de César e a Deus o que é de Deus; e ainda conforme Lucas 9:60: “Deixa aos mortos o enterrar os seus mortos; porém tu vai e anuncia o reino de Deus.” Equivale dizer: “Aos políticos a política, aos verdadeiros ministros do evangelho que anunciem o reino de Deus, e nada além.”
Conclusão: Se nem o próprio Deus atendeu às súplicas, com pretensões políticas, dos ministros da Comaduec, iria o povo cearense da capital Fortaleza atendê-los?
A Deus toda a Glória.

Vida e Paz

Vigilante da Fé

TEORIA DA PROSPERIDADE domingo, set 14 2008 

TEORIA DA PROSPERIDADEMAIS ATENDE AOS QUE A DEFENDEM

Não poderíamos deixar de aqui reproduzir a notícia sobre o manifesto público da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB), que entre outras e poucas, é dirigida por pessoas coerentes, responsáveis e que se empenham em agir com  veracidade.

Eis a notícia:

Doutrina da prosperidade é conservadora, diz IECLB
12 de Setembro de 2008 às 15:48:34
Porto Alegre – A doutrina da prosperidade, proclamada por igrejas neopentecostais, supervaloriza o cumprimento do dízimo, faz da bênção um direito do crente, exalta de modo indevido a prosperidade material, é individualista, não-profética e politicamente conservadora.

Ela “não procura ver as raízes estruturais da pobreza e do desemprego, muito menos os interesses gananciosos por detrás da concentração de renda”, aponta pronunciamento da presidência da Igreja Evangélica de Confissão Luterana no Brasil (IECLB) a respeito da doutrina da prosperidade.

O documento admite que a prosperidade na Bíblia é uma promessa divina, externada de diversas maneiras e em diferentes épocas da vida do povo de Deus. Essa promessa não se limita, contudo, à prosperidade material, abrange todas as esferas da vida, também a dimensão espiritual.

A Bíblia dá conta da existência de pessoas prósperas, mas cuja abundância não provém do temor e da obediência a Deus. Trata-se, informa o documento da IECLB, da prosperidade dos perversos e dos ímpios, que vem associada, muitas vezes, à violência e opressão.

Assim, há limites para a prosperidade material. O limite está dado “quando não serve mais às necessidades reais, mas, em função do acúmulo, cria sempre novas e diferentes ‘necessidades’ adicionais”.

Textos bíblicos confirmam dois importantes princípios. O primeiro, que a natureza última da prosperidade é coletiva. “Deus a deseja para todo o seu povo, mesmo que (Ele) seja sensível a petições individuais”. O segundo, que ela leva à prática do bem. “A partilha dos bens, a sua distribuição mais eqüitativa, é a finalidade última das bênçãos advindas da prosperidade material”, afirma o documento da IECLB.

A doutrina da prosperidade entende que todas as pessoas crentes devem e podem prosperar, desde que “se tornem plenamente cientes dos seus direitos de prosperidade, assegurados pelo próprio Deus em sua Palavra”, “saibam exigir e reivindicar junto a Deus a validade e o cumprimento desses direitos ‘em nome de Jesus’, isso porque ‘direito não reclamado é direito não existente'”.

Tal compreensão contraria frontalmente a justificação por graça e ignora as diferenças entre Deus, Criador, e os seres humanos, criaturas. Só a Deus cabe, em última análise, o governo do mundo. “Também não cabe a uma criatura tirar de Deus a liberdade para decidir a hora e o lugar para derramar as suas bênçãos”, sustenta o documento.

O crente também não pode vacilar do cumprimento da promessa de Deus e deve estar liberto de influências ou possessões demoníacas. Na análise da IECLB, a doutrina da prosperidade combate o mal da pobreza apelando “para uma mágica transformadora de palavras ditas com determinação, ao invés de se empenhar pela correção de estruturas de injustiça e das leis que a facultam”.

O documento foi preparado pelo professor Uwe Wegner, da Escola Superior de Teologia (EST), e assumido pelo pastor presidente da IECLB, Walter Altmann. O parágrafo final do documento alerta:

– Não devemos permitir que os interesses econômico-financeiros que hoje determinam o processo de globalização sujeitem também a nossa fé a uma visão estreita de prosperidade individual e material.

Fonte: ALC

Vida e Paz,

Vigilante da Fé

POLÍTICA É ARTE, SE PROMOVER FAZ PARTE sexta-feira, jul 18 2008 

POLÍTICA É ARTE, SE PROMOVER FAZ PARTE

Acredito que muitos já viram este filme:

Estrelado por Brad Pitt, a superprodução Tróia conta uma grande história de amor. A personagem principal é Helena, a mais bela mulher da Grécia. Os homens queriam se casar com ela. A formosa escolheu Menelau, rei de Esparta. Um dia, o casal recebeu a visita de Páris, príncipe de Tróia. Assim que viu a anfitriã, hóspede se apaixonou. Bolou um plano para ficar com a rainha. Quando Menelau foi dar uma voltinha, ele o pôs em ação. Raptou a rainha e a levou para Tróia. Na época, gregos e troianos eram amigos. Mas, com o rapto, viraram inimigos. Menelau reuniu todos os príncipes gregos, que convocaram os soldados, que juntaram a população e partiram de navio para Tróia.
Quando chegaram, cadê? Não conseguiam entrar de jeito nenhum. A cidade era cercada por muralhas altas e grossas. E só tinha uma entrada. A guerra começou para forçar a passagem. Dez anos se passaram. E nada. Os gregos chegaram a uma conclusão. Só com esperteza venceriam os troianos. Mandaram Sínon, o traidor, propor a paz. E presentearam os troianos com um cavalo de madeira.
Encheram a barriga dele de guerreiros. Quando o quadrúpede entrou, os soldados destruíram Tróia. Passada a confusão, Menelau reencontrou Helena. Ela continuava a mais bela entre as belas. Ele a levou de volta pra casa. Da guerra, nasceu a expressão ‘‘agradar a gregos e troianos’’. É o mesmo que agradar a Deus e ao diabo. Não dá.

Agora vejam esta notícia (abaixo) e deduzam se agradará a “gregos e troianos”, ou agradará mais aos “troianos” do que aos “gregos”.

Foi aprovada recentemente mais uma iniciativa do deputado estadual Pastor Waldir Agnello: a Lei nº 12.937/08, que cria o Dia da Igreja do Evangelho Quadrangular no Estado de São Paulo. Segundo o parlamentar, representante oficial da instituição na Assembléia Legislativa de São Paulo, a medida visa garantir o reconhecimento do poder público estadual ao brilhante trabalho que a Igreja realiza para a sociedade, sendo também uma forma de homenagear seus líderes e membros, um contingente estimado em quinhentas mil pessoas só no Estado de São Paulo. A data escolhida pelo parlamentar e aprovada pelas Comissões Temáticas da Assembléia Legislativa e do Governo do Estado, foi o dia 15 de novembro – a mesma do registro de sua fundação – e que agora passa a constar no Calendário Oficial de Comemorações do Estado de São Paulo. Não por acaso, a atitude de Agnello vai ao encontro de uma recomendação do Conselho Nacional de Diretores da instituição quadrangular, presidido pelo Deputado Federal, pastor Mário de Oliveira, para que os 57 anos da igreja no Brasil sejam comemorados das mais diversas formas – entre os dias quinze de outubro e quinze de novembro deste ano – no projeto chamado “Mês Quadrangular“.

Não há causa sem efeito nem proposta sem propósito. Agradar quinhentos mil eleitores quadrangulares, só no Estado do São Paulo, é uma tacada de mestre; ainda mais num ano eleitoral como este de 2008, em que ganhos obtidos a nível de eleições municipais, gerará dividendos para 2010, quando teremos eleições gerais (para: presidente, governadores, deputados estaduais/federais e senadores).

Por outra, por que não haver um Dia Estadual da Igreja do Evangelho Quadrangular?!… (o ideal seria haver um dia nacional, ou melhor ainda, um dia mundial)… se existe dia do boi, dia dos solteiros, dia da velocidade, dia do compreensão mundial, dia do DETENTO, dia do turista, dia universal de Deus, dia do papa, dia da pizza, dia do motociclista, dia da televisão, dia do disco (dia do cd ainda não tem), dia do planeta terra, dia das abelhas, dia da natureza, dia do cão, dias das aves, dia da natureza, dia do contador de histórias, dia do cacau, dia da mentira, dias dos animais, dia do consumidor, dia do telefone, dia do enfermo, dia dos adultos, dia da saudade, dia mundial do mágico, dia de Iemanjá, dia do zelador, dia do office-boy, dia do jovem e também Dia do Diácono; uma Lei Estadual, para o Estado de São Paulo, que se comemora em Primeiro de Maio, de autoria do mesmo pastor quadrangular e deputado estadual Waldir Agnello.

Demais datas comemorativas, o(a) amado(a) irmão(ã) leitor(a), poderá conferir no site: http://www.arteducacao.pro.br/comemorativas.htm

e caso a vossa igreja ainda lá não esteja incluída, pressione o seu pastor, para que este venha a pressionar o seu deputado e a sua igreja não fique de fora desta lista.

Vida e Paz.

VIGILANTE DA FÉ

 

« Página anteriorPróxima Página »